História

Nascimento da Congregaçãologos

A Congregação das Irmãs Passionistas de São Paulo da Cruz, foi fundada em Florença, na Itália, no dia 17 de março de 1815 pela Marquesa Maria Madalena Frescobaldi Capponi, com a profissão das primeiras 4 Religiosas: Verônica, Gertrudes, Crucifixa e Cleofe. Vivenciando o Carisma de Fazer Memória da Paixão de Jesus e das Dores de Maria Santíssima, o novo Instituto nasce com o objetivo de reeducar jovens e mulheres prostituídas, para que recuperadas, pudessem voltar à vida digna na sociedade.

Maria Madalena, tendo contato com os Padres Passionistas, pediu agregação aos bens espirituais para a sua Família Religiosa, o que lhe foi concedido. Também quis que suas Irmãs vivessem o mesmo Carisma que as Monjas e os Missionários fundados por São Paulo da Cruz viviam, insistindo que Paulo da Cruz fosse considerado como o fundador das Irmãs. Quando da morte deste, Maria Madalena contava apenas 4 anos de idade.

A vinda ao Brasil

No início de 1902, o Senhor Simas Pimenta e sua esposa, Dona Maria Pimenta, fundaram,em São Paulo, no Bairro Pinheiros, uma obra para acolher meninas órfãs, ou outras que, por várias circunstâncias, precisassem de internato. Esta casa chamou-se Abrigo Santa Maria. Em 1914 começou a tramitação para a vinda das Irmãs Passionistas ao Brasil: “No mês de julho de 1914, Madre Angélica recebeu um telegrama do Brasil, dos Padres Passionistas, convidando a Congregação para cuidar de um Abrigo,em São Paulo.

Foram enviadas da Itália ao Brasil, em 18 de outubro de 1919, as primeiras Irmãs da Congregação a deixarem a pátria para missionar em terras estrangeiras: Anunciata Inanzi, Boaventura Sabani e Águeda Lopai.

As primeiras Irmãs Passionistas chegaram ao país logo após a 1ª Guerra Mundial, que aconteceu de1914 a1918 e cujas conseqüências ainda eram sentidas pelo povo brasileiro. O pedido foi acolhido pela Madre Geral das Irmãs Passionistas da época, Madre Angélica Michelagnoli.

Aportaram em Santos no dia 07 de novembro de 1919. Com alegria Foram acolhidas pelos Padres Passionistas e pelo Senhor Simas Pimenta, diretor do estabelecimento onde as Irmãs iriam trabalhar, obra que mais tarde estaria nos domínios da Paróquia Passionista do Calvário. Nesse mesmo dia seguiram de trem para São Paulo, hospedando-se na casa das Irmãs da Divina Providência e depois no Colégio Sagrada Família das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, no Ipiranga.

No Abrigo eram esperadas pelas educandas. Os primeiros meses foram duros: muito trabalho, saudades da Pátria, adaptação ao clima, à língua, à alimentação, aos costumes.

Em fevereiro de 1920, ingressaram cinco candidatas à vida religiosa passionista, provindas de Colombo, no Paraná. No dia 03 de maio de 1921, fizeram os votos as quatro primeiras Irmãs brasileiras: Maria Bordignon, Catarina Fiorese, Maria Busato e Jacomina Lovato, iniciando assim um caminho de crescimento da Congregação no Brasil, apesar da pobreza, simplicidade e dificuldades que as irmãs viviam. Nestes primeiros anos, contaram muito com o apoio e a ajuda da comunidade local e dos Padres Passionistas.

Em 1926 foi eleita responsável pela Congregação no Brasil Madre Annunziata Innanzi. Neste mesmo ano, foi realizada a fundação em Curitiba e em 1927, em Colombo.

No ano de 1931, foi criada a Província São Gabriel da Virgem Dolorosa, com 37 Religiosas Professas, sendo Provincial Madre Annunziata Innanzi, mostrando crescimento em todos os sentidos.

Atualmente, as Irmãs Passionistas administram trinta e seis Obras, nos Estados de São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Distrito Federal, Mato Grosso, Goiás, Bahia e Piauí, em vinte e sete municípios distribuídos em três Províncias: São Gabriel da Virgem Dolorosa (SP), Imaculado Coração de Maria (PR) e Maria Rainha da Paz (DF).